Publicado por: Nelson Domingues | 03/08/2010

Desemparelhado

Estou prestes a fazer uma loucura, ou não… Como posso ficar tão vulnerável a uma pessoa que conheço a apenas 26 dias?! Emparelhado, é… era minha condição, mas parece que tudo mudou. Confesso estar extremamente bobo, ou como preferirem … apaixonado.

Acredito que poderia explorar muito mais este texto, mas confesso também que tenho algumas coisas mais interessantes a fazer… RS

Anúncios
Publicado por: Nelson Domingues | 27/07/2010

Feedback

4 meses se passaram, muitas lembranças não foram rabiscadas no livro online e coisas boas e ruins se perderam…

Talvez devo alertar que estou em inconstante mudança, ao mesmo tempo que desejo mudança desejos a paz e tranqüilidade. Coisas do meu presente, me desgastam e me punem por crimes que nem ao menos conhecia pela constituição do bicho humano, já por outro lado tenho força e distração através daqueles que são meus botões de casas vividas.

Sim estou bem, porem um pouco cansado…
Talvez essa noite de sono já me alivia de uma dor que não pode ser sentida …
Apenas desejo uma boa noite e um bom dia, pois a vida é um teatro onde somente os fortes podem atuar…

Publicado por: Nelson Domingues | 27/07/2010

Dificuldade alertada

Por que a vida despenca dos degraus do sacrário antes do amém?
Talvez a fé não seja das boas e a gente acaba viajando no momento da oração.
Viajando em busca do consolo incerto, dado como real sem ao menos provas concretas do poder da luz, de onde é chamada de divina.
Não é engraçado? Saber a importância das coisas e ainda sim insistir em ignorá-las?
Assim caminha, cheio de constante inconstâncias do cotidiano, que bifurcam os passos para o altar ou para a fogueira das bruxas fiéis aos desejos humanos.
Saber para onde vamos é que se torna uma questão difícil de responder, sabe… Indecifrável.
Torna-se assim uma forma de pregar-se à fé de maneira que sabemos o futuro pelas atitudes tomadas no atual transicionamento entre o céu e inferno.
E os degraus continuam a se formar, infinitos. Daí já não se sabe mais nada, afinal quando pensa que não pode ficar pior o vento celeste bate e o corpo desfalece.

Publicado por: Nelson Domingues | 31/03/2010

O que aconteceu? Mudamos da água para o vinho. Uma mudança muito boa por sinal. Vejo que andas mais carinhoso e menos “xucro”, já eu parece que esfriei um pouco, e isso foi previsto por mim dês daquele domingo que tive que expor meu sentimento de infelicidade com certas atitudes…

Antes de mais alguma coisa, gostaria de deixar bem claro que amo sim, e essa palavra não vinha a minha boca, com essa intensidade à tempos. Mesmo esta ainda não ter sido pronunciada.

Será que é só uma época difícil de minha parte, ou uma defesa automática? Não quero e nem penso em perder, mas me sinto infeliz por tratar assim …

Realmente, talvez viajar seja bom para ambos os lados, será uma grande corda para ambos os lados, só não podemos nos enrolar e acabar enfocando a si próprio.

Publicado por: Nelson Domingues | 23/03/2010

Vida Ad-você

Confusão! Acho que seria a grande palavra da minha vida, apesar de jurar de pés juntos que sou seguro do que faço, ou farei. Nunca saber ao certo, muitas vezes hipoteticamente e quase sempre desta forma tento passar segurança, mas em assuntos diversos e incompreensíveis, me torno o cordeiro sem rebanho .

Ultimamente minha vida Ad-Odranoel esta sendo muito boa, gosto da forma com que acontece e da forma que acontece, contudo como sempre surgem as inseguranças que me fazer quase sempre pensar que:

Amo-te, só
ou
Amo-te só

Entendo os casos e acasos, não sou formado na faculdade compatível, contudo estou sempre aprendendo.

Tenho a impressão que o abismo esta se movendo, e no sentido que eu queria, está se fechando, devagar, aos poucos, mas está. Não posso para, é tarde de mais, só espero que feche logo, pois estou louco para desfrutar de sólidos momentos em lóco e não vastos sentimentos ao vento.

Older Posts »

Categorias